Odemira

Habitada desde tempos remotos desconhece-se contudo, a sua origem. Vários foram os povos que se estabeleceram aqui , entre os quais romanos e árabes, que marcaram os usos e costumes das gentes da região. A reconquista de Odemira foi tardia, realizada, pensa-se, pelos frades guerreiros da Ordem de Santiago.Em 1238 todo o Alentejo, incluindo Odemira, estava nas mãos dos cristãos.Em 1245, D. Paio Peres Correia, Mestre da Ordem de Santiago, faz a doação do castelo de Odemira ao Bispo do Porto – D. Pedro Salvadores.Em 1256, D. Afonso III Passa a pertencer à coroa conseguindo foral em 28 de Março.

Foral de OdemiraO foral estabelece o termo do concelhoe retém uma certa continuidade em relação à herança árabe. Situada como está perto do limite do troço navegável do Mira, situa-se sobre o rio num local dominante.No reinado de D. Dinis, o senhorio de Odemira é doado a Manuel Pessanha (1319), um genovês que terá vindo ajudar a organizar a marinha portuguesa. Com D. Afonso IV, Odemira passa, por alguns anos, para a Ordem de Santiago, acabando por voltar à coroa em 1352.

D. Pedro volta a entregar o castelo de Odemira à família Pessanha em 1357. Já depois, em 1387, Lourenço Anes Fogaça recebe Litoral Alentejano Odemira Castelode D. João I a vila de Odemira. O último elemento desta família a deter o senhorio de Odemira foi João Fogaça, escudeiro da casa do Infante D. João.O primeiro Conde de Odemira foi D. Sancho de Noronha (1446), que obteve o título por carta passada por D. Afonso V.

No âmbito da reforma dos velhos forais, levada a cabo por D. Manuel, Odemira recebeu foral novo em 1510, nele se revela a importância do porto de mar, dos montados de gado e dos filões de metais existentes.O condado de Odemira extinguiu-se no séc.XVII (1661), tendo sido a Casa incorporada na de Cadaval.

No século XIX, o regime liberal reestrutura os limites do concelho, dando-lhe a sua configuração atual. O concelho abrange uma área extensa ao longo da costa e no seu interior uma vasta área de serras e campos com uma fauna e flora diversas; fazendo parte freguesias de outros concelhos, alguns deles extintos, como é o caso do de Colos e Vila Nova de Milfontes. Sendo em área o maior concelho do país, Odemira não poderia deixar de ser um Município de cores e contrastes diversos.

Paradise in Portugal

Desde a planície,as serras e o mar, são também benefícios desta região o Rio Mira e a barragem de Santa Clara.

Além das suas dezasseis freguesias Odemira possui uma zona costeira  de 55 Km totalmente integrada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina dos quais 12 são praias.São também de excepcional beleza terras como Vila Nova de Mil Fontes ou Zambujeira do Mar entre outras.

É com certeza um dos mais belos territórios da costa portuguesa.

Farmácias de Serviço
no Litoral Alentejano

Alcácer do Sal

Farmácias de Serviço
no Litoral Alentejano

Grândola

Farmácias de Serviço
no Litoral Alentejano

Santiago do Cacém

Farmácias de Serviço
no Litoral Alentejano

Sines

Farmácias de Serviço
no Litoral Alentejano

Odemira

Arrow
Arrow

!

PORQUE
A AFIRMAÇÃO
DA SUA MARCA
OU PROJETO
É IMPORTANTE

DESENVOLVEMOS
SOLUÇÕES
A PENSAR
EM SI

Image is not available

SITES PESSOAIS
INSTITUCIONAIS
PORTAIS
OU LOJAS

WEBDESIGN
REGISTO DE DOMINIOS
E ALOJAMENTO WEB

Litoralnetdesign

Image is not available

REGISTE CONNOSCO
O SEU DOMINIO
NÓS OFERECEMOS
O PRIMEIRO ANO

Outros alojamentos
  • Hotel Rural Monte da Leziria

    Hotel Rural Monte da Leziria

      Hotel Rural Monte da Leziria Na simplicidade do Alentejo …
  • Martinheiras

    Martinheiras

      Martinheiras O Martinheiras é uma casa de férias auto-sustentável, …
  • Pinhal da Coutada

    Pinhal da Coutada

      Pinhal da Coutada Temos para lhe oferecer seis diferentes …